Vasco entrega o ouro no final da partida e perde para o Vitória pelo placar de 89 x 87

Fonte: NBB

0
152

O Universo/Vitória deu uma grande demonstração de força e superação na noite desta terça-feira. Em pleno São Januário, o rubro-negro baiano viu o Vasco da Gama dominar o placar desde o início da partida e conseguiu uma incrível virada no minuto final para sair de quadra com um dramático triunfo, pelo placar de 89 a 85.

 O Vitória só havia ficado em vantagem no placar no início da partida, nos dois minutos iniciais (5 a 4). Depois disso, ficou atrás o jogo inteiro e ainda viu o Vasco abrir 14 pontos no terceiro quarto.

No período final, perdia por dez pontos restando quatro minutos para acabar. Em grande reação chefiada por Kenny Dawkins, o time do técnico Régis Marrelli cortou o prejuízo, deu o bote certeiro no minuto final e contou com participação decisiva de André Góes para decretar a virada.

Com o excelente resultado fora de casa, o Vitória subiu duas posições na tabela de classificação e agora ocupa a sexta colocação, com campanha de dez triunfos em 18 partidas, a mesma de EC Pinheiros (7º) e Caxias Basquete (8º), que levam a pior no tríplice empate pelos critérios de desempate.

+Tabela de classificação completa do NBB CAIXA 2017/2018

Grandes motivadores da reação baiana na reta final do duelo, André Góes e Kenny foram “os caras” do Vitória. O ala/armador foi autor dos lances livres que decretaram a virada e ainda foi o cestinha da equipe, 20 pontos. Além disso, deu sete assistências e totalizou 28 de eficiência, sua maior marca na temporada. Já o armador norte-americano foi autor de 13 pontos no último quarto e acumulou 18 na partida, além de cinco assistências.

O Vasco da Gama, que não contou com o pivô Lucas Mariano, dominou o placar durante 35 minutos e por pouco não somou sua segunda vitória consecutiva no NBB CAIXA. Com o resultado negativo, a equipe perdeu a chance de reduzir a distância para o décimo colocado Minas Tênis Clube e sofreu sua 13ª derrota em 20 partidas na competição (35% de aproveitamento).

A equipe vascaína teve como grandes destaques o pivô Renato Carbonari, cestinha do time, com 21 pontos (8/11 nas bolas de 2), e o ala norte-americano David Jackson, autor de 19 pontos (5/7 nas bolas de 3). Outros três atletas cruzmaltinos pontuaram em dígitos duplos: Gustavo Basílio (11), que ainda deu quatro assistências, Nezinho (10) e Chris Hayes (10).

 

 Ambas as equipes voltarão à quadra já nesta quinta-feira (08/02), também no Rio de Janeiro (RJ). O Vasco da Gama receberá o Solar Cearense, novamente em São Januário, às 20 horas. Enquanto isso, o Universo/Vitória medirá forças com o Botafogo, no Ginásio Oscar Zelaya, no mesmo horário.

O Vasco da Gama começou a partida mostrando a que veio. Com seis bolas de 3 pontos em 11 tentativas só no primeiro quarto, o Gigante da Colina não só largou na frente como ficou com mais de dez pontos de vantagem. A partir daí, a equipe da casa criou uma boa “gordura” para o restante do duelo.

O segundo tempo foi de altos e baixos, mas os vascaínos permaneceram em vantagem. Em determinado momento do terceiro período, a diferença chegou a ser de 14 pontos, mas o Vitória logo reagiu e reduziu o prejuízo. Já no período final, Kenny Dawkins resolveu chamar a responsabilidade, anotou 13 pontos na parcial e liderou a reação baiana.

 

A vantagem carioca foi caindo pouco a pouco até que, restando 48 segundos para o fim, o Vitória conseguiu a virada com dois lances livres de André Góes (85 a 84). Depois disso, David Jackson sofreu uma falta e foi para a linha dos tiros livres. O norte-americano, que tem aproveitamento de 86,8% no quesito, converteu somente a primeira tentativa (85 a 85) e deu o rebote ao time nordestino. Na sobra, André Góes ficou com a bola e acionou Arthur, que converteu os dois pontos para deixar o rubro-negro baiano em vantagem de novo (87 a 85).

 

Com 29 segundos do cronômetro, o Gigante da Colina gastou o tempo e viu Giovannoni errar o tiro de 3 pontos que poderia ter decretado a virada a sete segundos do fim. André Góes apareceu novamente no rebote, ficou com a bola e sofreu falta rapidamente. Nos tiros livres, foi perfeito nas duas cobranças e deu números finais à batalha em São Januário: 89 a 85.

DEIXE UMA RESPOSTA