Menor que matou PM ganha viagem para Brasília e homenagem no Degase

Fonte: RIO CRIME

0
161

Indignação. Esta é a palavra usada por Agentes de Segurança do Centro de Atendimento Intensivo de Belford Roxo (CAI-Baixada), unidade localizada no bairro Bom Pastor.

Segundo relatos dos servidores que trabalham no local, o interno A.S.A, de 18 anos, condenado pelo sequestro e assassinato do Cabo da Polícia Militar Thiago Rodriguez da Silva, de 32 anos, quando saía de casa, no bairro Jardim Nova Era, em Nova Iguaçu. No dia 22 de Agosto de 2017, o policial foi assassinado por A. e por outro criminoso, Ítalo Peçanha Bernardino, de 20 anos. O policial foi rendido e levado pelos criminosos dentro do próprio carro, quando teria tentado reagir e foi baleado na cabeça, vindo a óbito. Thiago deixou esposa e três filhos, vindo a somar na estatística de mais de cem Agentes da Segurança Pública mortos em 2017.

A. cumpre medida de internação – quando o menor é totalmente privado da liberdade – desde então, onde responde pelo homicídio e por associação para o tráfico de drogas na comunidade do Danon, também em Nova Iguaçu.

Na tarde deste domingo (18/11/2018), o interno foi premiado com uma viagem à Brasília, onde será homenageado pelo projeto “Multiplicador de Saúde”. Ao contrário dos demais deslocamentos, onde os internos são conduzidos algemados e uniformizados, A. foi conduzido sem algemas e sem uniforme. Diferentemente do protocolo de segurança do Degase, onde os deslocamentos externos como conduções hospitalares, audiências e transferências entre unidades do Departamento são realizadas por dois Agentes de Segurança, também uniformizados, A. foi conduzido, com a anuência da Direção da unidade, por um Agente desviado de função – deveria atuar como Agente mas trabalha há anos como professor de teatro no local – e uma Assistente Social. Segundo Agentes de Segurança que trabalham com A., quando perguntado sobre o teor do projeto, o mesmo disse não saber ao certo do que se tratava

DEIXE UMA RESPOSTA