TSE diploma presidente e vice-presidente da República eleitos em 2018

Fonte e Fotos: Tribunal Superior Eleitoral

0
78

Em sessão solene realizada na tarde desta segunda-feira (10), a presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, fez a entrega dos diplomas aos candidatos eleitos à Presidência da República nas Eleições Gerais 2018, Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão. Realizada no Plenário do TSE, a cerimônia de diplomação confirma que os escolhidos pelos eleitores cumpriram todas as formalidades previstas na legislação eleitoral e estão aptos a tomar posse nos mandatos para os quais foram eleitos.

Na mesa de honra da sessão solene Bolsonaro e Mourão sentaram-se à direita da presidente da Corte, que esteve acompanhada, à sua esquerda, do vice-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux. Também compuseram a mesa a procuradora-geral Eleitoral, Raquel Dodge, os presidentes da Câmara de Deputados, Rodrigo Maia, do Senado Federal, Eunício Oliveira, do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, e ministros do TSE.

Após a execução do Hino Nacional pela Banda dos Fuzileiros Navais, a ministra Rosa Weber leu e entregou os diplomas que atestam que, no dia 28 de outubro deste ano, os candidatos pela Coligação Brasil Acima de Tudo, Deus Acima de Todos (PSL/PRTB) foram eleitos presidente e vice-presidente da República do Brasil. A chapa recebeu 57.797.847 (55,13%) do total de votos válidos.

Com a entrega dos documentos, os eleitos estão habilitados à investidura nos cargos perante o Congresso Nacional em 1º de janeiro de 2019, nos termos da Constituição Federal.

Em seguida, o presidente eleito Jair Bolsonaro proferiu o seu discurso de diplomação e a ministra Rosa Weber falou em nome do TSE, órgão máximo da Justiça Eleitoral, que exerce papel fundamental na garantia da democracia brasileira.

Cerca de 500 convidados assistiram à cerimônia no Plenário do Tribunal. Prestigiaram a solenidade juízes, procuradores, advogados, desembargadores dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ), do Superior Tribunal Militar (STM) e do Tribunal Superior do Trabalho (TST), conselheiros do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), comandantes das Forças Armadas, ministros do Poder Executivo, parlamentares, familiares e amigos dos diplomados.

A Justiça Eleitoral realiza a solenidade de diplomação dos eleitos desde 1951, quando Getúlio Vargas retornou à Presidência da República por meio do voto popular. Suspensa durante o regime militar (1964 a 1985), a cerimônia voltou a ser realizada após a redemocratização do país, em 1989, com a eleição de Fernando Collor de Mello.

Nas eleições presidenciais, cabe ao TSE realizar a diplomação dos eleitos, em cerimônia que acontece no Plenário da Corte.

 

O presidente da República eleito, Jair Bolsonaro, parabenizou a Justiça Eleitoral pelo “extraordinário” trabalho à frente das Eleições 2018 e afirmou que governará para os mais de 210 milhões de brasileiros. As declarações ocorreram nesta segunda-feira (10), durante o discurso proferido por ele na cerimônia de sua diplomação, na sede do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília (DF). Na ocasião, Bolsonaro recebeu da presidente da Corte, ministra Rosa Weber, seu diploma eleitoral, documento que o habilita à investidura no cargo para o qual foi escolhido pela maioria da população brasileira no último dia 28 de outubro.

“Aos que não me apoiaram, peço sua confiança para construirmos, juntos, um futuro melhor para o nosso país”, disse, após fazer um agradecimento especial aos mais de 57 milhões de cidadãos que o escolheram nas urnas para governar o país pelos próximos quatro anos. “Governarei em benefício de todos, sem distinção de origem social, raça, sexo, cor, idade ou religião”, acrescentou.

Bolsonaro também agradeceu aos integrantes do TSE, dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), das Forças Armadas e do Serviço Exterior Brasileiro, e aos mesários, voluntários e demais cidadãos envolvidos na realização das eleições. “Expresso meu muito obrigado e o meu reconhecimento por essa demonstração de civismo e amor ao Brasil. Não poderia estar mais honrado com a confiança demonstrada pelo povo brasileiro. Essa vitória não é só minha”, disse.

Prosperidade, justiça e segurança

Diante de diversas autoridades, familiares, amigos e jornalistas, Jair Bolsonaro assumiu o compromisso de se dedicar à construção de um Brasil próspero, justo e seguro. “Tenho plena consciência dos desafios que se colocam entre nós. Sem subestimá-los, trabalharei com afinco para que daqui a quatro anos possamos olhar para trás com orgulho pelo caminho trilhado em benefício do nosso amado Brasil”, destacou.

Segundo Jair Bolsonaro, as diferenças são inerentes a uma sociedade como a brasileira, múltipla e complexa. No entanto, os ideais comuns aos brasileiros não podem ser esquecidos. “Que esse trabalho coletivo, que garantiu a legitimidade do processo eleitoral, seja um exemplo da união em prol do Brasil”, afirmou. “Com o apoio e o engajamento de todos, vamos resgatar o orgulho de ser brasileiro. O Brasil deve estar acima de tudo. Que Deus abençoe nosso país e a todos nós brasileiros”, concluiu.

 

DEIXE UMA RESPOSTA